quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Introdução


"Alguns opitam por lutar , outros desistem mesmo sem tentar . Amar é uma palavra forte e que sobrevive somente nos corações fortes ,talvez seja boba em acreditar ou não mais que a minha vida começou a ter um sentido começou ! "

Férias em Califórnia:

    -Férias .
        Estava curtindo ao máximo  minhas férias no litoral da Califórnia , um pouco de sol , ondas e muitos gatinhos . Eu tinha que aproveitar antes de voltar para a realidade.
         - Sam , vamos jogar volei de praia ? _ gritou Anabethi
         - Depois Ana . _gritei de longe para ela 
    Me sentei na varanda da casa de praia de meu pai Mark e comecei a a desenhar.
         - O quê você está desenhando minha querida filha ? _ beijou minha testa e depois sentou junto comigo .
         - Bom estou desenhando ....algo parecido com o que sonhei noite passada. _ e lhe mostrei o desenho.
         - Criativa essa sua mente _ nos dois rimos do desenho e ele me abraçou 
       Anabethi estava realmente fazendo bem ao meu pai , não parecia que ele estava divorciado de minha mãe .
          - Pai , o senhor vai me levar para Rendford ? _ olhando para o horizonte aonde sempre havia um maravilhoso pôr do sol.
          - Sim filha , mais você sabe que se eu pudesse ficar com você eu ficaria _ e me deu um abraço forte .
          - Eu sei pai , te amo pai . 
         -Mais , sua mãe precisa de você mais do que eu _ e não me soltava por nada 
         - Obrigada por tudo pai 
         - Esses seus desenhos , são bonitos  _ se levantou e entrou .
        Já estava escurecendo e acabei adormecendo vendo o pôr do sol . Papai me cutucou e eu acabei acordando assustada 
         - Hei , o que houve ? _ Mark me abraçou para me aliviar do susto.
         - Foi aquele sonho de novo , pai ..
         - você tem que para de assistir filmes de vampiros .
         - Eu não acredito que possa existir vampiros 
         - Eu sei filha,  mais olha quem está ai ?
         - Richard ???_babuçei 
       Ele era muito simpático , mais não se acustumava com a ideia da nossa separação .
         - O que você está fazendo aqui  ? 
         - Vim te ver , porquê não posso mais _ reclamou 
         - Claro que sim Richard , sempre que quiser . 
         Entramos e Anabethi serviu o jantar , Mark começou  a contar as histórias de lobos enquanto Richard escutava as histórias dele Anabethi retirava a louça e eu escapei dos três , fui olhar para o céu que estava lindo e maravilhoso , as estrelas brilhavam muito forte e a lua iluminava meu quarto a sintonia  com que eu estava com que eu estava , com o sonho e tudo mais  era tão inexplicável  . Não demorou muito e adormeci de novo .
  "Era uma lugar lindo , cheio de flores , bosques e um rapaz que não conseguia descobrir quem era. De repente o rapaz apareceu pegando em minha mão, seu olhar era explendido, seu rosto perfeito e corpo muito lindo seu olhar penetrou minha alma e algo nele me chamou atenção talvez seja aquele colar enorme que ele trazia em seu peito . Seus trajes eram de uma época muito antiga, mais uma mulher que trajava roupas da mesma  época apareceu me arrancando com uma brutalidade dos braços do desconhecido , da sua face jamais esqueceria, um olhar  vermelho e com uma mordida...  "  eu acordei com o despertador , vi meu pai e Anabeth deitados juntos num sofá que havia no meu quarto, percebi que estava suando o que estava acontecedo comigo ?         
     - filha ....filha você está bem ? _perguntou Mark 

              - sim , mais o que houve ?

         - você teve outro pesadelo, você gritava "pare , pare " que eu e Ana nos assustamos e viemos ver o que estava havendo.

          - Samantha , você não acordou com nada _ então olhei sobre mesinha e vi remédios , álcool e uma bacia com água .

           - Desculpa , pai ...Ana _chorei um pouco , mais levantei tinha que ir embora , os dois saíram do meu quarto e fui tomar banho , me arrumei e desci peguei apenas uma fruta e entrei no carro sem dizer uma palavra . Vi pelo retrovisor do carro Mark se despedindo de Ana , era tão lindo ver como os dois se amavam no olhar dos dois víamos alegria ,amor e felicidade , e quando Mark entrou no carro lhe fiz uma prévia pergunta  :

            - Mark , o senhor é mais feliz com a Anabethi do que era com a mamãe ? _ seu rosto tomou outra forma , mais ele me respondeu 

             - Sim filha .....sim 

              E fomos para Rendford aonde tudo o que eu imaginava poderia acontecer . 




                        PARTE 1 - NOVATA 

                            
 O percurso era longo , sei que Califórnia era longe de Rendford  e que eu voltando para aquela cidade lembranças boas voltariam . Mark não parava de me olhar , aquilo estava ficando chato.
    - Mark esta tudo bem ?
    - Sim , eu só não acredito que você cresceu rápido , você já vai fazer 20 anos , minha Sam voltando para as origens . 
      Comecei a rir do jeito de Mark parecia que ele estava com medo de alguma coisa , será que era do novo marido de mamãe ? seja lá o que fosse saberia de algum modo . Naquele dia chuvoso em Rendford a cidade estava movimenta , como sempre as noticias ruins chegavam primeiro que a boas, Mark ligou o rádio e o radia-lista dizia "na noite de ontem mais uma vitima fatal o Sr. Daniel morador da cidade a quase 30 anos morreu quando voltava de uma caçada desportiva ao redor de nossas florestas de Rendford . Ficou assustados não fique o delegado da cidade esta resolvendo esse caso que já não é o primeiro ." 
         - Nossa pensar que eu já conheci esse senhor , ele era muito legal o que será que matou ele ? _em duvidas. Mark ficou paralisado , seu olhar vago e também acho que seus pensamentos .
         -Mark ...Mark , você esta bem ? 
         - sim , sim ele era um conhecido da família , por isso que estou assim , mais eu já vou melhorar.
         - ok , então vamos !
      Mark estava diferente mesmo recebendo essa noticia ele parecia nervoso , preocupado mais ainda continuava concentrado na rua .As árvores estavam fazendo movimentos com o vento , quando chegamos em casa Paul já estava no esperando na porta , Mark olhava para Paul de uma maneira estranha , parecia que eles estavam conversando entre olhares . - Mark cuide bem da Anabeth ok ,  eu vou entrar agora antes que essa chuva aumente ._ beijei seu rosto e desci do carro e peguei minhas malas gritei para Paul que ainda encarava Mark , pedi para me ajudar mais nada , entrei acenei para Mark me despedindo, e para Paul  fez um gesto com a cabeça dizendo "cuide bem dela". 
            - Eita chuvinha !!!!
            - Se não gosta daqui  por que veio ???_sua voz logo se alterou 
            - Aonde esta  minha mãe ?
           - Ela saiu , já volta agora suba pro seu quarto !Já !!!
           - Qual é a sua ??? idiota !!!
       Subi para meu antigo quarto , as coisas ainda continuavam da mesma forma sem por e sem tirar nada , minha cama continuava confortável , o meu guarda roupa antigo com meus arranhões tudo continuava do jeitinho que gostava . Em cima da cama tinha todos meus ursinhos e um relógio antigo , no criado mudo tinha um porta retrato de quando minha família era feliz sem esse "Paul " , fui me aproximando do antigo guarda roupa que tirou minha concentração , parecia que estava me levando para meu passado um passado muito feliz . A chuva começou a piorar e as árvores começaram a arranhar a janela do meu quarto levei um susto , e fui ver bem o que era  , e de longe vi um rapaz muito distinto, bonito bem arrumado mais que dava medo de repente uma lembrança me levou para meu passado de novo ,o mesmo rapaz era igual a 10 anos atrás . Vi um carro muito bonito uma Lamburguini vermelho e minha mãe descendo daquele carro , levei um susto quando vi o que aconteceu a ela . Pálida como se havia morrido , desci os relances de escadas e corri abraçar minha mãe , minha querida mamãe quando senti seu abraço era  gélido um arrepio subiu minha coluna vértebra , logo me afastei Sarah  
        - O que houve minha filha ? tudo bem com você por que se afastou de mim
        - Desculpa mãe, é que você está muito fria .
        - É porque está frio la fora 
        - Mãe , porquê você e o Paul estar doentes _perguntei a ela como se um nó estivesse em minha garganta, mas ela parou de me olhar fixamente e seu olhar teve outro rumo , apalpou o braço do sofá , sentou-se e me disse com uma lágrima nos olhos:
        - Eu não queria contar é um segredo , por favor não exige muito  de mim _Sarah tentou alargar um sorriso .
        Acariciei seu rosto que pareia de porcelana e enxuguei suas lágrimas 
       - Está bem mamãe! _ tentando entender o que estava passando naquele lugar, procurei entender por que minha mãe não queria contar para mim , será que eles estavam  realmente doente? ou apenas porque não pegam um sol ???Algum dia irei entender Pensei comigo !
       - Mas filha , e sua faculdade ? _disse num tom de dúvida
       - Quando cheguei percebi que construirão um prédio lindo acho que deve ser a faculdade desse lugar neah  ? Se for amanhã mesmo irei lá conversar com o diretor  e me mudar.
     - Ok filha , agora vamos dormir ! murmurou Sarah reprimindo seus lábios .
      Fiquei espantada , por que dormir , ainda era seis horas da tarde . perguntei a mamãe . - Por que Sarah ainda está cedo!
    - Aqui quanto mais cedo dormir você nada escuta ! fiquei ainda sem entender , mas somente balancei a cabeça e subi para meu quarto . Me tranquei lá e vasculhei meu quarto , mais enquanto vasculhava escutei um grito doloroso de Sarah , sai as pressas de meu quarto , bati na porta do quarto deles , e nada a responderam 
   - Mamãe abra a porta , por favor !_ disse nervosa , algo passou por trás de mim bem rápido , me inclinei com medo apenas vi o corrimão e a porta do meu quarto , fui cautelosa em direção ao corrimão olhei para os relances de escadas e não vi nada dei uma leve chamada no nome de Paul e também nada e os gritos voltaram , mais parecia que estavam abafado.Voltei na porta de minha mãe , batia e nada , de repente fui domada pelas minhas dúvidas , Paul abrindo apenas uma fresta me perguntou :
     - O quê você quer ?_ grunhindo .
     - Abra a porta , quero ver minha mãe ! disse a ele com um tom abalizador 
     - Sua mãe está bem ! _ Eu sabia que não , que minha mãe não estava bem , quase implorando , me ajoelhando disse para Paul para ver minha mãe ! Paul bateu a porta na minha cara e a trancou , escutei a respiração ofegante dele por trás da porta , fazer o que , não podia arrombar a porta deles , cruzei as pernas e adormeci em frente a porta deles .Senti o cheiro mais estranho vindo do quarto acordei apavorada pois era sangue , cheiro exitei em bater na porta , voltei para meu quarto , fechei as cortinas , mas ante olhei pela janela e vi um rapaz na escuridão da rua e fechei rápido a cortina .
      Eram 2 horas da manhã e meus pensamentos estavam vagos , pareciam que eles estavam flutuando no ar , quando finalmente consegui dormir , tive pesadelos , acordei um pouco nocautiada pelos meus sonhos , acendi a luz do meu quarto e me deparei com Paul me olhando .
      - Samantha precisam  que você guarde um segredo , por favor _ele me disse num tom desagradável ! -Então o que é ? _disse a ele trincando os dentes 
      - Aqui não é seguro , nossas vidas não estão seguras !
      - Porque ? vocês estão doentes ? Eu posso ajudar , eu posso ? _disse com uma certeza _ Vocês podem contar comigo . Ele não se manifestou , ficou imóvel , parecia que estava fora do ar  dei dois toque nele e nada , quando fui conversar com minha mãe , Paul agarrou em meus braços e pediu que eu ficasse em silêncio .
       - Prometa !_disse ligeiramente 
      - O quê ?_lhe perguntando .
      - O que você ver não irá contar a ninguém ......prometa .....prometa. Exaltando a voz , ele segurou com tanta força meus braços que houve um estalo .
     - Me solte seu imbecil , você acabou de quebrar meu braço , eu vou sair daqui já chega . Desci os relances de escadas não peguei nada , não olhei para a estátua  de Paul 
    - Não saia Samantha , por favor ! Me disse preocupado 
       A água da chuva escorria em meu corpo quente , parecia que tudo se dilatava , a água pingava mais não ficava mais do que um segundo em minha pele , percebi que alguém , não várias coisas estavam me seguindo , corri mais rápido ainda , entrei na floresta , que burrice minha eu deveria correr para a policia mais eu não me lembrava aonde era mais .
      Eu não sabia ao certo aonde eu estava , mais sabia que não tinha uma casa se quer , ainda escutava os passos abafantes deles , me inclinei e senti um punho em meu estômago que me arremessou longe , quebrei algumas árvores até cair numa lagoa , aquelas coisas , me pegaram da água , eu já não sentia minha cabeça , estômago meus braços , nada acho que quebrei  minhas pernas , minhas costelas , sei lá mais que a dor era insuportável era , não tive mobilidade para contra atacar , até um estranho aparecer .









                                               O estranho


Vi de longe a moça que eu conhecerá bem , a fragil Samantha , era pequena quando nos conhecemos , nossos pais eram amigos e todos os domingos faziam churrasco , a gente brincava de tudo juntos , até ela ir embora , concordei pois nosso pacto era sempre ser amigos mesmo distantes . Agora eu vejo ela , com 18 anos sofrendo nas mãos desses sanguessugas , daqui deu para escutar  seus ossos se quebrando e sua respiração estava alterada não pude me conter , o meu sangue estava fervendo e comecei me transformar , mas não na frente dela , se não ela poderia se assustar em ver  seu amigo , se transformando em lobo . Apareci bem na hora , consegui que que aqueles vampiros não a mordessem . Notei que ela estava 
imóvel , os vampiros dali juraram que voltariam para matar Sam. Quando meu coração parou de acelerar e meu sangue a ferver , vi a fragilidade em pessoa , peguei ela quase sem vida e a levei para o hospital .Samantha era tão delicada , atenciosa , o que houve para ela ter entrado na floresta aquela hora. Senti o cheiro vagabundo de seu guarda costa, Ryan antes mesmo dele chegar  no hospital. Quando seus pés mórbidos entraram , senti todos meus sentidos se aguçarem , seu cheiro nojento de vampiro me embrulhou o estômago . Escutei os passos do médico de Samantha vindo do primeiro andar , escutei os gemidos de Sam , minhas sobrancelhas se juntaram e o nervosismo tomou conta do meu corpo , o sanguessuga se juntou a mim e perguntou :
   -o que houve ?
   - pensei que você poderia me responder isso já que você é o guarda costas dela ._ disse preocupado com os gemidos vindo do primeiro andar
    - Eu fui conversar com Paul e ver Sarah , que estava mal ._falou com uma certeza que confiei nele.
 Fez de mim  uma cobaia para os vampiros ?
    A única coisa que passava na minha cabeça , era dar um murro na cara dele , mais   se eu fizesse isso os pais da Sam , nunca iriam me perdoar .
      -  Não precisa pensar isso de mim , John !_ com uma expressão de culpa !
      - Oh ! me desculpe por você ter lido meus pensamentos discretos 1_rindo sarcasticamente de sua cara .
     Mas  só não entendi por que aquele grupinho, atacou a  Samantha ?
      - É óbiviu ! _ lendo meus pensamentos
      - Hei , dá pra parar de ler minha mente , por favor !_ Já não aguentava esperar por noticias de Sam , esperei somente mais um pouco até o amanhecer , mais eu escutava tudo que se passava no primeiro andar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário